ESTRABISMO

 

O que é?

É a perda do paralelismo dos olhos, ou seja, os olhos se apresentam tortos. Pode ser no eixo horizontal (convergente ou divergente) ou no eixo vertical (para cima ou para baixo).

Principais tipos e causas

Podem estar presentes já ao nascimento (congênitos como síndrome de Ciancia, Duane ou Moebius) ou aparecerem nos primeiros anos de vida (acomodativos ou associados a alto grau de hipermetropia). Nestes casos não há a diplopia (ou visão dupla), pois predomina um mecanismo de defesa do cérebro chamado supressão. Existem também os estrabismos tardios, na criança mais velha ou no adulto, sendo estes geralmente desencadeados por doenças do tipo hipertensão arterial, diabetes melito, problemas na tireoide, miastenia, trauma crânio-encefálico, tumor intra-craniano ou intra-ocular, aneurisma, entre outros. Nestes casos ocorre sintoma de diplopia.

Qual o tratamento?

Na infância até os 6 anos de idade, é primordial o tratamento da ambliopia (ou olho preguiçoso), causado pela supressão pelo cérebro da visão do olho desviado. Consiste puramente na OCLUSÃO do olho bom para estimular aquele desviado. É claro que somente a oclusão não corrige o estrabismo, necessitando também de cirurgia (com exceção dos casos onde haja correção com uso de óculos ou com o tratamento da doença de base, quando for o caso). Com relação à cirurgia, esta pode ser realizada tanto com anestesia geral, em crianças, com apenas um dia de estada no hospital, como com anestesia local, em adolescentes e adultos, com alta hospitalar logo após o término da cirurgia. Em alguns casos mais complexos é necessário mais de uma cirurgia para a correção total do estrabismo.

Voltar para Tratamentos…